Bem-vindo(a)!

Exponho aqui um pouco daquilo que tem a ver com a minha produção diária. Cada publicação, uma novidade: poesias, notícias, pensamentos, reportagens…

No corpo, na alma e no coração RSS

Carta aos candidatos de oposição a Berzoini

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Política | 26/09/2005 às 1:39

À companheira Maria do Rosário
Aos companheiros Raul Pont, Plínio Sampaio, Marcus Sokol, Gegê

No dia 18 de setembro, mais de 305 mil petistas demonstraram disposição de defender o Partido dos Trabalhadores.

Este enorme comparecimento foi um tapa na cara da direita brasileira, demonstrando que 140 dias de brutais ataques não destruíram a esperança da militância, sua coragem de mudar o Brasil e seu compromisso com as bandeiras vermelhas do Partido dos Trabalhadores.

No dia 18 de setembro, os filiados decidiram que nenhuma chapa, nenhuma tendência, nenhum grupo pode mandar no PT. Ao votar, a militância demonstrou que quer seu Partido de volta. Continue lendo este tópico »

FHC 2006

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Artigos | 12/09/2005 às 9:39

Na falta do que fazer e dizer, consultando as pesquisas que o colocam como o mais rejeitado de todos os eventuais candidatos, FHC declarou que não concorrerá à presidência da República em 2006 – sem que ninguém lhe tenha perguntado. É uma pena. FHC deveria ser candidato.

Emir Sader*

FHC vaga, na sua profissão de ex-presidente, recolhendo dólares com palestras, enquanto ainda consegue audiências. Parece que a fundação FHC que os empresários paulistas lhe deram de presente não é brinquedinho suficiente. FHC fica circulando pelos cantos, professando sua “fracassomania” e exibindo uma triste decadência.

Na falta do que fazer e dizer, consultando as pesquisas que o colocam como o mais rejeitado de todos os eventuais candidatos, FHC declarou que não será candidato a presidente em 2006 – sem que ninguém lhe tenha perguntado.

É uma pena. FHC deveria ser candidato. O PSDB, se acredita mesmo no que diz – nas maravilhas do governo FHC, do que foi feito no governo brasileiro de 1994 a 2002 – deveria lançá-lo como candidato. Colocaria seus dois governos, quando contou com maioria absoluta no Congresso e na grande imprensa privada, a julgamento pela população. Continue lendo este tópico »