Bem-vindo(a)!

Exponho aqui um pouco daquilo que tem a ver com a minha produção diária. Cada publicação, uma novidade: poesias, notícias, pensamentos, reportagens…

No corpo, na alma e no coração RSS

Gol contra

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Crônicas | 06/06/2009 às 13:27

Kekel
06/06/2009

É mote (in)cultural: publicar um livro é difícil! É nada!… depende de duas coisas: ou se ter dinheiro no bolso ou uma editora que vá com sua cara! Porque nem com ideia é, nem de ideia depende!

Quer que eu prove?

Vou passando pelo shopping e vejo na livraria: lançamento do livro: Gol de Placa. Uma história aí de como natal conseguiu chegar a ser sede da copa de 2014. O evento que levará o Brasil ao desenvolvimento. Pelo menos é o argumento dos meus “súditos”: políticos! Continue lendo este tópico »

O apaixonado

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Crônicas | 20/12/2008 às 10:55

Rodrigo Ramazzini – Jornalista e cronista

– Amor! Posso… Posso te fazer uma pergunta?
– Ai! Quando tu começas assim é porque vem bomba.
– Não! Não… É que estive pensando…
– Putz! Vinícius eu te conheço bem. Quando “pensas” é porque é sério o assunto. Vamos logo, desembucha!
– Sabe, Francini… Estava pensando… Já faz um tempo que a gente namora, né?
– Bah! Mais precisamente oito anos, onze meses e quatro dias…
– Pois é… É uma situação que temos que resolver.
– Eu não acredito que estou ouvindo isso… Até que enfim vamos nos casar!
– Quem… Quem falou em casamento, Francini?
– Ué! Não é isso?
– Não!
– Ai! Vou até me sentar. O que foi desta vez, Vinícius? Continue lendo este tópico »

O melhor da festa

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Crônicas | 12/12/2008 às 0:03

Marcelo Sguassábia (*)

É esperar por ela. Assim o velho ditado, assim Priscila deitada. Olha pela janela grande do quarto e vê um cinza chumbo empurrando no céu o carneiro de nuvens. Não demora e a chuva vai regar as bostas das vacas lá no morro, que gratas pelo frescor retribuirão com cogumelos a quem quiser colher, chapéus de sol que dariam cores e sons insuspeitos à festa de logo mais. Isso se Priscila fosse de se alucinar. Qualquer uma menos ela, aluna de internato, sem chance, nem vinho de missa conhecia. A uma mulher dessas bastaria uma taça de espumante leve para destravar um vagão de cismas e mágoas. No caso dela a lucidez já era, a seco, a perda do juízo e o delírio extremo. Estava há meses a 220, trêmula. Mas a festa daria jeito nisso. A festa prometia e ela acreditava.

Busca Priscila a si mesma na cama. Não acha. Já tentou o Google? O que o Google não acha, não existe. Se o Google não achou Deus, Deus inexiste. Google talvez seja Deus, sendo Deus uma busca como muitos dizem. Se julga Priscila um mosaico de desenho incerto, definido a esmo, sem traçado prévio. Ao resto do mundo o merecido estrago, todas as maldições juntas do Antigo Testamento. Que a ira divina varresse tudo, poupando apenas deleites pequenos mas insubstituíveis, como tentar adivinhar o que teria de almoço ou espreguiçar em fronhas frescas pra espantar o mormaço. Continue lendo este tópico »

Carnaval 2005 – Sábado de manhã: Recife

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Crônicas | 13/02/2005 às 23:16

Para compensar o curto tempo para atualizar este flog e contar as resenhas do inesquecível carnaval pernambucano, posto dessa vez trechos adaptados do livro “Viaje na Viagem”, de Ricardo Freire. Nada como falar de ventilador escondido no armário da lavanderia, de Vaca Louca e Zé Buceta com balde d’água na cabeça, né? Mas, agora fique com um pouco do meu “Sábado de manhã, em Recife” (pronuncia-se Ricifi).

Tradicionalmente, o Galo da Madrugada é o primeiro grande evento do carnaval brasileiro. Por mais que alguns lugares (incluindo o próprio Recife) tentem antecipar o início dos trabalhos, o certo é que o país só entra em estado de carnaval depois que assiste na TV à mesma tomada aérea de sempre: o centro da cidade invadido por mais de um milhão de pessoas, e uma voz familiar ao fundo dizendo “Fernando José, do Recife, para o Jornal Hoje”. Continue lendo este tópico »

McDonald’s, Habib’s ou paçoca do Zumbi?

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Crônicas | 24/01/2005 às 21:21

“Menina dos olhos pretos” / “Sobrancelha de veludo” / És linda de corpo e alma / “Teu coração vale tudo”

Continuando a programação do DemesFolia, quinta-feira passada rolou meu primeiro Barraco, mas como diz Luciana “sô mais um Buteco” e para fazer jus à preferência nada melhor do que Churrasquinho do Pedrão, com o pé-de-serra dos Lindos do Forró de aperitivo. Rubinha, Eu, Luciana, Enaldo Filho e Demes, bebemos, dançamos e curtimos até a última. De lá fomos direto pra UTI… do Caldo, onde Aviões do Forró foi nossa pedida.

Sexta e sábado, a casa de Luciana foi o endereço da resenha. Tava quase todo mundo que havia ido à Búzios, começando pela autoridade máxima: Didiu, Luciana, Demes, Rubinha, Eu, Rosinha, Lucas, Gleicinha, Joá, Juliana, João Paulo (Foca), Katiuza, Daniel e uns que não lembro. Continue lendo este tópico »

Fim de Semana

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Crônicas | 20/01/2005 às 0:15

“Parar em casa: Segundo o Aurélio, expressão da Língua Portuguesa que significa repouso e tranqüilidade. Em outras palavras, algo completamente diferente do que Isaac Ribeiro fez nos últimos dias.”

Gente, verdade nua e crua, a resenha tem sido tão grande que até o Aurélio tomou conhecimento de causa. Tudo começou na tarde do sábado, na casa de Markinhoo, em Búzios. De meu lembrar, estavam Binha, Daniel, Rosinha, Eu, Luciana, Didiu, Laura, Demes, Beth, O Foca, Gleicinha, Lucas, Nara, Popinhas e Katiuza. Outros passaram por lá, mas não cheguei a conhecer. Sem dúvida, “tudo muito bom demais”.

Na casa, o churrasco ficou sob o comando de Demes, O Foca e Popinhas levaram as frutas tropicais e o pancadão de som, já a incomparável caipirinha só podia sair por conta de Binha. Didiu consagrou-se o bebo-econômico e Eu o bebo-limpo, pode? Gleicinha não largou Noé, o ser mais ilustre da casa, Lucas não parou com sua metralhadora anal e o sofá terminou mesmo para Katiuza. Nara fez só bater o coração de certa pessoa. Daniel deu continuidade à aparelhagem na terceira metade do dia e Laura ficou só num segredo de pé do ouvido quando todos se distraiam. Luciana também fez olhos brilharem. Beth ficou linda com seu “eyeglass-fashion”. De Rosinha até aqui nada a dizer não e Markinhoo não esqueci, acho que esqueceram foi de convidá-lo. Continue lendo este tópico »

Brasil da Silva

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Crônicas | 10/12/2004 às 1:12

Se você é brasileiro, se você é Silva, então você não é só mais um!

Bob Rum que me perdoe (aê, DK, esse é o Bob Rum que eu conhecia!), mas você pode ser mais um Silva, nunca só mais um Silva.

Mesmo porque, não é só. É tanto. E tal. Às vezes, um Silva é até O Tal. Eu, por exemplo, nunca ouvi o Rap do Pereira ou o Rap do Castro. Agora o “Rap do Silva” marcou geral (Era só mais um Silva / Que a estrela não brilha / Ele era funkeiro / Mas era pai de família).

Então: Silvas do Brasil, uni-vos! Continue lendo este tópico »