Bem-vindo(a)!

Exponho aqui um pouco daquilo que tem a ver com a minha produção diária. Cada publicação, uma novidade: poesias, notícias, pensamentos, reportagens…

No corpo, na alma e no coração RSS

Indecisão

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Poesias | 15/02/2011 às 23:17

Queria meu coração
falar de sentimento.
Contudo, indaga a razão:
Seria este o momento?

Peço licença.
Dou pitaco na conversa:
Será que temos tempo
para perder em controvérsia?

Coração ouve feliz
Mas a razão é insistente
Quer pôr os pingos nos is
e não encerra a discussão.

Enquanto isso, vão-se as horas
Num tique-taque sem fim
E sempre é forte a emoção
Quando tu olhas para mim.

Isaac Ribeiro

A implosão da mentira, de Affonso Romano de Sant’Anna

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Poesias | 19/12/2008 às 10:00

Em face da passagem dos 40 anos de instituição do Ato Institucional n° 5 (AI-5), completados no dia 13 de dezembro de 2008, considerado o mais draconiano dentro da legislação repressiva da história política do país, bem como pela permanência atualizada de seu tema, publico o poema abaixo, originalmente editado em diversos jornais em 1980.

Segundo o poeta e autor Affonso Romano de Sant’Anna, foi publicado também em várias antologias, como “A Poesia Possível”, Editora Rocco – Rio de Janeiro, 1987. Continue lendo este tópico »

O Tempo

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Poesias | 18/07/2005 às 21:56

A vida são deveres
que nós trouxemos pra fazer em casa.
Quando se vê já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê, passaram-se 50 anos!
Agora, é tarde demais
para ser reprovado…
Se me fosse dada, um dia,
outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente
e iria jogando, pelo caminho,
a casca dourada
e inútil das horas…
Dessa forma eu digo,
não deixe de fazer algo que gosta
devido à falta de tempo,
a única falta que terá
será desse tempo que, infelizmente,
não voltará mais.

Mário Quintana

– Pura e simples verdade, não? Porém, complexa ao ponto de não percebermos. Vejo que preciso ser um pouco menos exigente comigo. Cara, em 2 meses saí apenas 2 vezes (2 aniversários), senão para a escola. “Num tem cabimento”. Estou aparecendo em breve, viu.

Esperança

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Poesias | 14/03/2005 às 12:16

Pai,
Por você a tempo espero.
Sentir teu calor,
Muito quero,
Mas você não aparece.

Pai,
Como seria bom olhar em teus olhos;
Ouvir da sua boca palavras de carinho;
Jogarmos bola;
Passearmos juntos…

Pai,
Onde quer que você esteja
Saiba que com ânsia
Tenho certeza
De um dia, pessoalmente,
Te chamar de pai.

Isaac Ribeiro

Homenagem

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Poesias | 06/11/2004 às 12:32

Criança

Sou criança
Não tenho lazer
Passo o dia trabalhando
Não tenho tempo pra nada
Nunca freqüentei uma escola
Nem apenas meu nome
Aprendi a escrever.

Tenho direitos
Isso eu sei e todos sabem
Mas, o que adianta
Não são respeitados
Ninguém obedece as leis.

Estou crescendo, crescendo
Não vejo nenhuma mudança
Tudo parece estar como era antes
Que pena
Nada posso exigir
Ninguém me escuta
Quando falo
Me chamam de criança.

Isaac Ribeiro

De criança a adolescente

Realmente,
pouco me adiantou o passar dos anos
Por não saber ler, nem escrever
Trabalho pra mim não aparece
A maneira de antes já não quero mais.

E como preservo com determinação
a única coisa que possuo nessa vida
A obra divina arquitetada por Deus
– a minha virgindade
Estou quase morrendo de fome
Aos 17 anos de idade.

Agora, reluto de luto
Sei que isto não passa de uma
injustiça social
E na contramão da permissividade
Ainda tenho sonhos e esperanças
De junto a este país poder crescer.

Isaac Ribeiro Continue lendo este tópico »

Reflexões

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Poesias | 30/05/2004 às 7:12

Procuro uma palavra
Que denomine o que eu sinto por ti
Essa paixão inconfidente
Esse coração desesperado
Quando digo que não quero
Eu quero é mais…
Sentir o teu calor
Beijar tua boca como se nunca
Tivesse beijado antes
Te amar como se fosse
A primeira vez.

Isaac Ribeiro

– Galera, vou tentar fazer uma espécie de retrospectiva da semana, começando pela quinta-feira, 20, onde o desejo aqui mencionado realizou-se: fui ao show d’O Rappa e foi muuito massa. Arrebentou! Diferente do pensado apenas uma coisa, terminei indo sozinho, o que não significa ter ficado só, pois conhecia a metade do público e… É, a outra também. Modo dizer, claro, mas que tinha gente demais conhecida sem dúvida. Não posso esquecer de elogiar os caras do Agregados FRP (mandou bem na apresentação e no clipe) e os amigos do Folcore dessa vez marcando presença destacada no “stand” MADA. Aproveito, para desejar-lhes (Folcore) uma boa viajem para o Rio de Janeiro e sucesso no trabalho. Continue lendo este tópico »

Jeito de poeta

Por Isaac Ribeiro | Categoria(s): Poesias | 18/05/2004 às 6:31

Estou tentando, tentando
Fazer poesias
Não sei porque
Não entendo
Falta inspiração.

10, 20, 30 minutos se passaram
Folhas e mais folhas já rasguei
Estou perdendo a paciência
Não acredito
Eu nunca tinha tido isso
Não desisto
Eu consigo
Sou valente.

Olha gente
Que engraçado
Contando o que estava acontecendo comigo
Fiz uma poesia.

– Oi pessoal. As últimas semanas têm sido numa maior correria. Apareceu vários trabalhos pra fazer e terminei ficando dia e noite “ocupado”. Pra falar a verdade, gosto desse negócio meio louco, movimentado, sinto-me bem mais útil. Mas ainda deu tempo de sair com os amigos da Escola: passei o final de semana em Barreta e foi super legal, sem contar a aventura que foi pra chegar lá. Continue lendo este tópico »